foto_pink_salvador

Fachada da casa noturna. Foto divulgação.

Jovens acusam terem sido vítimas de racismo e homofobia em casa noturna de Salvador.

Salvador, Bahia, segunda-feira, 3 de setembro de 2015.  ás 00h25min – Por: Marcelo Cerqueira – ggbbahia@gmail.com 

Os jovens Gláucio Roberto, 28 anos, estudante do curso de Bacharelado em Saúde na Universidade Federal da Bahia (UFBa), Cristiano de Jesus, 27 anos, profissional em educação física e Thiago Guedes, 26 anos, dançarino profissional acusam a boate Pink Elephant, localizada na Rua João Gomes, 240, no bairro do Rio Vermelho em Salvador, terem sido vitimas de racismo e homofobia. Segundo as vitimas, afirmam terem sidos submetidos a constrangimento e humilhação pública praticada por um grupo de quatro homens que faziam a segurança, dentro do estabelecimento. Os três jovens registraram boletim de ocorrência na 7ª Delegacia de Policia Civil no mesmo bairro.

O estudante Gláucio Roberto explica como tudo começou ainda dentro da boate  na madrugada de sábado (1) para domingo quando o grupo deixava o local, dirigindo-se a fila do caixa para pagar a consumação, segundo ele, foi a primeira vez naquele lugar. “Havia uma fila grande e as pessoas passavam em nossa frente por orientação do segurança” disse. Incomodado pela situação que se apresentava o jovem procurou saber do segurança o porquê daquele procedimento.

Ainda de acordo com o estudante, nesse momento o segurança, um homem alto, forte, de cor negra, vestindo terno preto se dirige a ele dizendo “ Sai pra lá pretinho” repetindo isso por varias vezes, afirmando ainda que eles não iriam passar por aquele lugar. O estudante denuncia ainda que o segurança teria dito que eles eram pobres e pretos e não iriam sair por aquele lugar, saída principal da casa noturna e que sairiam pelos fundos do estabelecimento, situação que os jovens consideram constrangedora.

A situação ficou tensa quando um dos seguranças se dirige ao grupo ofendendo a sua orientação sexual. Cristiano Cortes revela que foi ameaçado de espancamento por um dos seguranças, quando foi tentar pagar a conta e sair da casa, “Se vocês não forem pra trás, vou quebrar vocês no pau, seus viadinhos”.  As vitimas alegam que queriam falar com o gerente da casa, e segundo eles, apareceu um homem se dizendo gerente, mas tomou as dores dos seguranças e nada fez para resolver a confusão na portaria de saída.  Nessa segunda-feira (3) uma informação no site Canal Zero pelo jornalista Caio Corôa, a boate exime-se da culpa alegando não ter sido preconceito racial e nem de orientação sexual.

Na noite do ocorrido, um funcionário da casa teria dito que os jovens estavam embriagados. “Isso não é verdade tanto que após a saída da casa, por vota das 4h0 da manhã, fomos a Delegacia fazer valer os nossos direitos”, afirmou Gláucio Roberto que fará constar no Boletim de Ocorrência os recibos da boate para que seja constatada a consumação.

O Grupo Gay da Bahia (GGB) viu a denúncia no site Canal Zero a partir de uma matéria do jornalista Caio Corôa e buscou ouvir os envolvidos, com receio o terceiro envolvido preferiu não dá declarações, reservando-se a ocorrência policial.  A entidade vai encaminhar a denúncia ao Núcleo LGBT da Prefeitura do Salvador, para apuração dos fatos com base na Lei Municipal Anti Discriminação com base na orientação sexual número 5.275 em vigor desde 1999 na capital baiana. A entre as punições a Lei prevê aplicação de multas e até cassação de alvará de licença e funcionamento dos estabelecimentos que discriminar pessoas em virtude de sua orientação sexual.

jerusalem

GGB condena ataque contra a Jerusalém Pride Parade

Salvador, Bahia, 1 de agosto de 2015 – O Grupo Gay da Bahia (GGB) entidade da sociedade civil que coordena a Parada LGBT da Bahia em sua 14ª edição a ser realizada em Salvador no dia 13 de setembro deste coaduna com a InterPride, a Associação Internacional de Organizadores de Orgulho, nos Estados Unidos da América e condena o ataque homofobico  que ocorreu na última quinta-feira,30, de julho  na Parada do Orgulho Gay em Jerusalém, onde dois participantes foram esfaqueados por um extremista religioso, quando os manifestantes marchavam pacificamente pelas rua da cidade santa.

O presidente do GGB Marcelo Cerqueira acredita que este tipo de covardia reforça a importância  e a  importância desses eventos em todo o mundo. O trabalho árduo dos grupos e a dedicação dos seus membros voluntários por meio da realização das Paradas  buscam assegurar a visibilidade da comunidade de gays, lésbicas, travestis e pessoas transexuais promovendo aceitação, diminuição de estigmas e preconceitos em todos os lugares onde são realizadas.

A nossa comunidade não pode viver ameaçada pelo medo causado por atraques motivados pela homofobia, lesbofobia e transfobia, independentemente de região geográfica que vive, religiosidade ou sistema politico vigente.  Nossos corações estão com as vítimas, suas famílias e toda a comunidade LGBT em Jerusalém e Israel. O GGB  se solidariza com a Jerusalém Open House,  organizadora da celebração anual do orgulho LGBT na capital israelense.  Esperamos que as pessoas responsáveis sejam levadas à justiça imediatamente, e que esse tipo de atrocidade nunca mais se repita.

parada gay cajazeiras 1

Salvador, Bahia, sábado, 1 de agosto de 2015 – Da redação – A I Parada Gay  da Bahia acontece domingo (2)   no bairro de Cajazeiras o evento abre o Circuito Salvador da Diversidade que segue até vinte e sete de setembro com a I Love Subúrbio Parade. O Grupo Gay da Bahia (GGB) já contabilizou até agora dez paradas, mas a cidade receberá outras.

Considerado um dos bairros mais populosos da capital baiana, Cajazeiras recebe nesse domingo, 2, a VI Parada Gay local  que escolheu como tema o combate a homofobia, racismo e promoção da cidadania e direitos das pessoas com deficiência.

Conforme Cristiano Nonato, 37, presidente do Grupo Gay de Cajazeiras (GGC) o tema nasceu a partir da constatação de que as pessoas necessitam saber lidar com a diversidade, respeitando e protegendo-as nas suas necessidades, “ É preciso combater o preconceito no local onde ele acontece para que a omissão não acabe estimulando novos casos” declarou Cristiano informando ainda que é preciso respeitar as pessoas com deficiência e o seu direito acessibilidade. Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia parabeniza a iniciativa e acredita que deve ser estimuladas e adequadas as suas realidades. “  Essas Caminhadas nos bairros são interessantes porque abre a cabeça do povo respeitar essa diversidade LGBT” disse Cerqueira.

De acordo com os organizadores, diferente do ano passado, que o evento começou na Fazenda Grande III, este ano a concentração acontece a partir das 14h na Rotula da Feirinha de Cajazeiras 8 , fazendo um percurso de 2km com previsão concluindo  nas imediações do campo da Pronaica, Cajazeiras X, por volta das 19h.  Uma estratégia de segurança organizada pela entidade, Polícia Militar e o Grupo Gay da Bahia (GGB) levando em consideração a comodidade dos moradores concluiu pela redução do percurso e do horário final do término das atividades.

O evento conta com estrutura de um trio elétrico e carro de apoio. Além de transformistas, as atrações musicais conformadas para tocar no evento são Retrô de Salvador, Play Wey , já o som eletrônico fica com o DJ Calay.  O evento conta com o apoio do vereador Léo Prates, membro da Comissão de Pessoa com Deficiência da Câmara Municipal de Salvador.

Serviço:

VI Parada Gay de Cajazeiras

Data: Domingo, 2, de agosto de 2015

Realização:  Grupo Gay de Cajazeiras

Concentração: A partir das 14h no Lardo da Feirinha Cajazeiras X.

Contato: Cristiano Nonato  (71) 9904 2006

Confira as datas das Paradas que já fazem parte do Circuito Salvador da Diversidade.

 

DOMINGO, 2 DE AGOSTO

15h às 20

VI PARADA GAY DE CAJAZEIRAS

Concentração: Feirinha:, seguindo para Cajazeiras X, até o Campo da Pronaica. Realização: Grupo Gay de Cajazeiras/ Contato: Cristiano Nonato (71-8891-6630)

 

 

paradagaycajazeiras

De acordo com o site Dois Terços o evento realizado no domingo (2), reuniu cerca de 5 mil pessoas. Estiveram presente o presidente do Grupo Gay da Bahia, Marcelo Cerqueira, Luiz Mott, vereador Léo Prates e Jean Nanico do Pida, ainda a ex-vereadora Léo Kret.

 

DOMINGO, 16 DE AGOSTO

15h às 20h

IV PARADA LGBT DE VILA CANÁRIA

Concentração: Final de linha. Realização:  Grupo LGBT Vila Canária, coordenação: Yorran. Fone ( 71) 9332 1966

Atrações musicais:

DOMINGO, 23 DE AGOSTO

14h às 18h

I PARADA DIVERSIDADE DA ENGOMADEIRA

Concentração final de linha.

Realização da Associação de Travestis de Salvador (ATRAS).  Coordenação: Millena Passos.  Fone de contato (71) 3322 2552 /  9233 5663

Atrações musicais:

DOMINGO, 30 DE AGOSTO

14h às 20

IV PARADA LGBT DE PERNAMBUÉS  

Concentração final de linha de Pernambués.

Realização do Grupo Linha de Frente. Coordenação: Tuka Perez  – tukkaperez@gmail.com , fone (71) 86169462.

Atrações musicais:

DOMINGO, 6 DE SETEMBRO

14h às 20h

CAMINHADA NORDESTE DE AMARALINA

Percurso: Concentração na Sede da SUDBNA, em frente ao Hotel Lotus, rumo ao final de linha do Nordeste de Amaralina Atenções: Realização: Associação LGBT Laleska D’ Capri – Coordenação:  Denny Silva – Contatos: (71) 8418-6406 E-mail: dennysilva11@yahoo.com

DOMINGO, 6 DE SETEMBRO

15h às 22h30

II PARADINHA DO TORORÓ

Praça Dodô e Osmar, Tororó

Desfile de mine-trio, apresentação de bandas e shows de transformistas.

Atrações musicais: Confirmar

DOMINGO, 13 DE SETEMBRO

11h às 22h30

14ª PARADA GAY DA BAHIA

Praça do Campo Grande, Centro.

Desfile de trios eletricos, palco, apresentação de bandas musicais, shows perfomaticos.  Realização do Grupo Gay da Bahia (GGB).  ggbbahia@gmail.com  (71) 3322 2525 – 9989 4748 .

Atrações musicais: confira programação no site do GGB.

IV Semana da Diversidade de 6 a 13 de setembro.

DOMINGO, 20 DE SETEMBRO

14h às 20h

V PARADA GAY DA LIBERDADE

Concentração: Largo da Lapinha, percorrendo toda a rua Lima e Silva. Realização: Grupo Gay da Liberdade/ Contato: Giliarde Silva (71-8792-4768). grupogaydaliberdade@hotmail.com

DOMINGO, 27 DE SETEMBRO

14h às 20h

I SUBURBIO LOVE PARADE

Percurso: Gavião, Avenida Suburbana, Feira de Periperi e Praça da Revolução.  Atenções: Desfile de trios, shows de bandas e performances.  Realização do Grupo Gay da Bahia (GGB), núcleo LGBT do Subúrbio. Contatos: (71) 99894748 – ggbbahia@gmail.com.

OUTUBRO, 4 DE OUTUBO

15h às 20

I RECÔNCAVO LOVE PARADE EM ITAPARICA

Diversidade LGBT, Racial, Ambiental e Cultural

Concentração: Praça principal

Desfile de trios elétricos, shows musicais e transformistas. Miss Gay Recôncavo

Realização:  Setorial Recôncavo do Grupo Gay da Bahia (GGB).

Contatos: ggbbahia@gmail.com

14 Parada Gay da Bahia acontece 13 de setembro em Salvador.

Cartaz divulgação.

CARTAZ PEÇA FINALIZADA 23 07 15

Salvador, Bahia, terça-feira, 21 de julho de 2015.   Da assessoria do GGB. O Grupo Gay da Bahia (GGB) tem a honra de comunicar que a IV Semana da Diversidade e 14ª Parada Gay da Bahia acontecem em Salvador no período de 6 a 13 de setembro. Ates acontece uma serie de atividades culturais que servem de mobilização para a 14ª Parada Gay no dia 13 de setembro, onde esperamos receber mais de 900 mil pessoas.

A nossa campanha é RESPEITO POR DIREITO , fruto de uma pesquisa nas redes sociais onde o GGB perguntou o que querem os gays, responda em duas palavras. A resposta mais repetida foi Respeito e Direito. Queremos direitos e sermos respeitados como cidadãos que somos pois pagamos impostos e contribuímos com o desenvolvimento do país. Venha celebrar com agente.

Celebrar o amor, alegria e a vida. Uma programação com seminários, debates, mostra de filmes, feira de negócios e no dia da Parada, muita emoção. A partir das 11h coletiva de imprensa, premiação ao Facebook e a Suprema Corte dos Estados Unidos pelo Casamento Civil Igualitário.  Mais de dez (10) trios, mais de quinze bandas musicais, palco central para apresentações de shows e atrações musicais das 11h0 até ás 21h30.  O GGB tem trabalhado muito para cada vez melhorar esse nosso evento, pra você. Logo sai a programação oficial, tá babado.

Pessoas de outros estados podem solicitar a organização ajuda para encontrar hospedagem em Salvador. Ou mesmo um roteiro de serviços, feito parra bem receber.

Serviço

Telefones (71) 9989 4748 – 3266 1147 – 3322 2552

ggbbahia@gmail.comggb@ggb.org.br

Salvador recebe Conferência LGBT: Por uma cidade que respeita a diversidade.

bandeira mais amor

Salvador, Bahia, domingo, 19 de julho de 2015 – Da assessoria (Semur). Edição Marcelo Cerqueira ( DRT- BA 2135)

A Prefeitura de Salvador, Bahia, por meio da Secretaria Municipal da Reparação (SEMUR), promoverá sua Conferência LGBT nos dias 21 e 22 deste mês, no Fiesta Bahia Hotel, sendo precedida de Pré-Conferências que serão realizadas no próximo sábado, 11, em prefeituras-bairro, em centros sociais urbanos e também na sede do Observatório da Discriminação Racial e LGBT.

A programação consta ainda de uma parte cultural voltada a identidade.  No dia 21 a festa de abertura fica por conta da Banda Diva Box que vai tocar os  hits mais badalados de divas da música internacional atual e do passado servirão de inspiração para o show Diva Box. O repertório trará canções que se consagraram nas vozes de Beyoncé, Rihanna, Katty Parry, Madonna, Cindy Lauper, Spice Girls, entre outras, ganhando releituras nas vozes masculinas dos atores Fernando Ishiruji, Paulo Lopes e Ricardo Albuquerque.

Já o segundo dia vai ser dedicado ao transformismo. Michelle Lorem, recebe Mitta Lux e Valerie O´Hara. Mita rende homenagem ao movimento e promete show glorioso homenageando as grandes divas pop internacionais e nacionais, Mitta Lux faz uma viagem por vários estilos e músicas, indo do blues, funk, R&B, Jazz e Rock. Já Valerie O’rarah apresentará suas performance ligada a cultura afro remetentes aos ancestrais religiosos africanos.Confira abaixo a programação completa das atividades.

valerie    mitta luxi1

Valerie (e) e Mitta Lux, atrações da Conferência no dia 22.

Ambos os eventos tem a finalidade de preparar o município para as conferências que acontecem em 2016, em todo o País, cujo processo é iniciado nos territórios de identidade, continuado em âmbito estadual e finalizado na Conferência Nacional LGBT, prevista para maio daquele ano. Todas elas terão por propósito debater e propor políticas públicas voltadas para a população LGBT, bem como avaliar avanços, necessidades e demandas. Por pensar políticas públicas, as Pré-Conferências e Conferência que acontecerão em Salvador poderão municiar a Prefeitura na elaboração do plano municipal LGBT. Participe!

Mais informações podem ser obtidas com a organização do evento na sede do Observatório da Discriminação Racial e LGBT, na Rua Carlos Gomes, 31, Clube de Engenharia da Bahia, Centro, bem como pelo telefone (71) 3202-2700. e-MAIL: reparacao@salvador.ba.gov.br

CONFÊNCIA LGBT DE SALVADOR

Tema: “Por uma Salvador que respeita a diversidade”.

Local: Fiesta Bahia Hotel (Av. Antônio Carlos Magalhães, 741, Itaigara).

Telefone:(71)  3352-0000.

Programação

conferenciasalvador2     diva box11

Foto. Cartaz divulgação do evento e Fernando Ishiruji do grupo Diva Box.

TERÇA-FEIRA, 21 DE JULHO DE 2015

13h – Credenciamento

15h – Leitura e aprovação do Regulamento

18h – Mesa Institucional

18h30 – Conferência de Abertura: “Por uma Salvador que respeita a diversidade”

19h30 – Atividade Cultural

QUARTA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2015

8h às 10h – Mesa redonda: Políticas públicas e desenvolvimento para a comunidade LGBT; Arranjos institucionais para assegurar a sustentabilidade das políticas LGBT; Participação política e controle social LGBT nos espaços de decisão.

10h às 10h15 – Lanche

10h15 às 12h15 – Grupos de Trabalho

12h15 às 14h – Almoço

14h – Grupos de Trabalho

16h – Plenária Final

17h – Encerramento

TEXTO-BASE DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS E PROMOÇÃO DA CIDADANIA LGBT – COMLGBT

A Conferência Municipal de Promoção e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT terá como tema Por uma Salvador que Respeita a Diversidade e ocorrerá nos dias 21 e 22 de Julho de 2015.

Este é instrumento democrático de participação e de controle social para reafirmar e ampliar o compromisso governamental com a cidade do Salvador, mediante a construção de políticas públicas de Promoção e Cidadania LGBT, enfrentando todas as formas de lesbo-gay-bi-transfobia.

São objetivos da COMLGBT:

  • Reafirmar e ampliar o compromisso governamental e da sociedade soteropolitana com a Política Municipal de Promoção e Cidadania dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais como fatores essenciais à democracia plena e ao desenvolvimento com justiça social;
  • Avaliar os desafios a serem enfrentados pela implementação da Politica Municipal de Promoção e Cidadania dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais;
  • Propor um conjunto de recomendações de enfrentamento a lesbo-gay-bi-transfobia no âmbito do Executivo Municipal e de outros Poderes do Município do Salvador;
  • Discutir os mecanismos de institucionalização da Promoção dos Direitos e Cidadania LGBT no Município do Salvador.

A Conferência utilizará como orientador os seguintes marcos e documentos regulatórios:

  • Primeira Conferência Nacional LGBT;
  • Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos LGBT;
  • Instalação do Conselho Nacional LGBT;
  • Autorização da Mudança de nome para as travestis PL 2976/2008;
  • Autorização de mudança de nome para as pessoas transexuais PL 72/2007;
  • Relatório sobre Violência Homofóbica no Brasil;
  • Criação da Coordenação Geral de Promoção dos Direitos LGBT;
  • Implementação do módulo LGBT do Disque Direitos Humanos;
  • Planejamento Estratégico da Secretaria da Reparação;
  • A criação do Núcleo LGBT;
  • Criação do Comitê Municipal de Promoção e Defesa dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.

A existência dessa manifestação discriminatória contra o segmento LGBT levou a Anistia Internacional1 a considerar tal comportamento como Violação dos Direitos Humanos. No Brasil, grandes passos já foram dados quanto à legislação e garantias dos Direitos da população LGBT. Ainda assim, o país é citado em documentos internacionais como um dos países que mais comete violência contra homossexuais.

O Estado da Bahia é considerado o segundo do Nordeste com maior índice de violência contra LGBTs. Dados do Grupo Gay da Bahia (GGB)2 sinalizam que no ano de 2014 houve um aumento de 4,1% de crimes de ódio contra LGBTs. Vale ressaltar que a violência não tem sua faceta restringida as agressões físicas e verbais. Ela coexiste com a negação dos direitos sociais, como acesso a moradia digna, saúde, trabalho, educação para a diversidade, políticas culturais dentre outras.

Ao refletir sobre a cidade do Salvador é possível identificar avanços nas políticas, a exemplo da requalificação do Observatório Permanente, do GT para a implantação do Núcleo e comitê LGBT. Contudo, os números apresentados pelo Observatório do Carnaval 20143 (SEMUR) revelaram 1035 ocorrências de violência em suas diversas tipologias. Sabe-se da subnotificação desses dados, devido a invisibilização e negação dessas violências e violações. Deve ser destacado que, segundo as estatísticas do IBGE, o segmento LGBT representa 10% da população de Salvador, que tem seus direitos individuais e sociais violados em decorrência de existirem e expressarem suas afetividades.

Faz-se necessário refletir sobre o movimento paradigmático em relação aos direitos humanos da população LGBT, onde se assiste uma ameaçadora reação de parte da população para o alijamento desses sujeitos e seus afetos.

Está-se distante de uma situação desejada É preciso desenvolver mais políticas públicas em diversas áreas como Segurança Pública e Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Saúde, Educação, Trabalho e Emprego, Promoção Social, Esporte e Lazer e Turismo e Cultura.

Por uma Salvador que Respeita a Diversidade, é preciso lutar por uma sociedade mais livre de preconceitos, discriminações e LGBTfobias, onde todos possam ter o direito de viver e expressar seus pensamentos, as suas orientações, e terem o direito de ir e vir com dignidade e respeito.

1 A Anistia Internacional é um movimento global com mais de 7 milhões de apoiadores, que realiza ações e campanhas para que os direitos humanos internacionalmente reconhecidos sejam respeitados e protegidos. Está presente em mais de 150 países. Todos os dias, alguém, em algum lugar do mundo, recebe apoio da Anistia Internacional. Fonte: https://anistia.org.br/conheca-a-anistia/quem-somos/

2 Fonte: http://grupogaydabahia.com.br/2015/01/13/assassinato-de-lgbt-no-brasil-relatorio-2014/

3 Relatório do carnaval 2014

REGULAMENTO INTERNO DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS E PROMOÇÃO DA CIDADANIA LGBT DO MUNICÍPIO DO SALVADOR

CAPÍTULO I

DOS OBJETIVOS

Art. 1º – A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, sob a coordenação da Secretaria Municipal da Reparação Municipal – SEMUR, convocada pelo Decreto nº do Decreto nº 26.180, publicado no DOM de 29 de junho de 2015, do Prefeito Antônio Carlos Magalhães Neto, tem como objetivos:

I – Reafirmar e ampliar o compromisso governamental e da sociedade soteropolitana com a Política Municipal de Promoção e Cidadania dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais como fatores essenciais à democracia plena e ao desenvolvimento com justiça social;

II – Avaliar os desafios a serem enfrentados para implementação da Política Municipal de Promoção e Cidadania dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais;

III – Propor um conjunto de recomendações para o enfrentamento a lesbofobia, gayfobia, bifobia, transfobia no âmbito do Executivo (municipal) e de outros Poderes do Município de Salvador;

IV – Discutir os mecanismos de institucionalização da Promoção dos Direitos e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais no Município do Salvador.

CAPÍTULO II

DA REALIZAÇÃO

Art. 2º – A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT é de abrangência municipal e será realizada nos dias 21 e 22 de julho de 2015, no Hotel Fiesta.

CAPÍTULO III

DO TEMÁRIO

Art. 3º- A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT adotará como temário “Por uma Salvador que respeita a Diversidade”: e como subtema: Políticas LGBT no Município de Salvador: desafios e estratégias.

Parágrafo único. O temário acima terá como subsídios os Marcos Regulatórios da Política de Promoção da Cidadania LGBT.

Art. 4º – A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT deverá propiciar a participação ampla e democrática dos diversos segmentos da sociedade e seu relatório final deverá refletir a opinião de todos nela representados, resultante dos grupos temáticos e contemplando as decisões aprovadas em Plenário.

CAPÍTULO IV

DA ORGANIZAÇÃO

Art. 5º – A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT será presidida pela titular da Secretaria Municipal da Reparação ou, na sua ausência ou impedimento eventual, pelo Subsecretário da referida Secretaria.

Art. 6º – A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT terá a seguinte organização:

a. Plenária Inicial;

b. Mesas Temáticas;

c. Grupos de Trabalho

d. Plenária Final.

Art.7º – O credenciamento no dia 21/07/2015 abrirá às 13h e encerrará às 18h. No dia 22/07/2015 abrirá às 8h e encerrará às 12h.

§ 1º – O credenciamento é obrigatório para delegadas e delegados, observadoras e observadores, convidadas e convidados.

§ 2º – A substituição de delegadas e delegados titulares por suplentes só poderá ser realizada até as 18h do dia 21/07/2015, mediante apresentação de comunicado oficial do responsável da comissão organizadora municipal. Caso a substituição não seja realizada nesse período, a delegação perderá a vaga.

Parágrafo único: As discussões no âmbito da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT se desenvolverão sob a forma de palestras, painéis, grupos de trabalho e debates no Plenário.

CAPÍTULO V

DOS PARTICIPANTES

Art. 8º – Terão direito a participar da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, 123 (cento e vinte e três) delegados e delegados, e 35 observadores e convidados,com a seguinte composição:

I – 54 (cinquenta e quatro) delegados (as) eleitos (as) nas plenárias das pré-conferências escolhidos (as) dentre os participantes;

II – 32 (trinta e dois) delegados (as) natos membros do Comitê LGBT.

III – 37 delgados indicados pelos órgãos municipais.

IV – e 35 Observadores e Convidados.

CAPÍTULO VI

DO FUNCIONAMENTO DO PLENÁRIO

Art. 9º – A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT será coordenada, nas suas mesas de trabalho, pela Comissão Organizadora que designará responsáveis pela condução dos trabalhos.

Art. 10 – Os debates serão iniciados após as exposições, sendo a palavra franqueada à Plenária, mediante inscrições, com a apresentação do crachá, sendo que cada pessoa inscrita terá 03 (três) minutos para apresentar sua intervenção.

CAPÍTULO VII

DOS GRUPOS DE TRABALHO

Art. 11 – Serão organizados 06 (seis) Grupos de Trabalho, com os seguintes eixos temáticos: Direitos Humanos, Justiça, Cidadania e Segurança,Saúde,Educação,Turismo e Cultura,Trabalho e Emprego,Promoção Social, Esporte e Lazer.

Art. 12 – Cada grupo terá um (a) mediador (a) indicado (a) pela Comissão Organizadora com as funções de conduzir as discussões, controlar o tempo e estimular a participação de todos (as) os (as) integrantes.

Parágrafo único – Além do (a) Mediador (a), cada grupo contará com um (a) Facilitador (a) e um (a) Relator (a), este (a) último (a) escolhido (a) dentre dos (as) participantes do próprio Grupo, para sistematizar e apresentar as propostas para aprovação.

Art. 13 – As propostas discutidas nos Grupos deverão ter aprovação de, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) dos participantes para comporem o relatório do Grupo.

CAPÍTULO VIII

DA PLENÁRIA FINAL

Art. 14 – A Plenária Final terá como objetivo:

I – Debater e aprovar as propostas que não alcançaram 50% mais um, em cada Grupo:

II – Apreciar e aprovar Moções;

Art. 15 – A apreciação e votação das propostas concernentes ao GT – Grupos de Trabalho, terá o seguinte encaminhamento:

I – A coordenação da Plenária Final procederá à leitura das propostas, de modo que os pontos divergentes possam ser identificados como destaque para serem apreciados;

II – Após a leitura das propostas será assegurado o direito a destaques; os pontos não destacados serão considerados aprovados, e em seguida os destaques serão submetidos à votação em bloco;

III – Os (as) proponentes de destaque terão, cada um (a), o tempo de 3 (três) minutos para defesa de sua proposta, e em seguida o(a) coordenador (a) dos trabalhos da mesa concederá a palavra ao (à) delegado (a) que se apresente para defender posição contrária, tendo este (a), 3 (três) minutos para defesa da refutação;

IV – A aprovação das propostas apresentadas será por maioria simples, de no mínimo 50% (cinqüenta por cento) mais um dos (as) Delegados (as) presentes à Plenária Final.

Art. 16 – Encerrada a fase de apreciação das propostas do Relatório Final a mesa procederá à leitura das moções apresentadas.

CAPÍTULO IX

DAS MOÇÕES

Art. 17 – Qualquer delegado (a) da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT poderá apresentar as moções, nos Grupos Temáticos.

Art. 18 – Cada moção deverá ser aprovada por, no mínimo, 50% (cinqüenta por cento) dos delegados (a) mais 1 (um), presentes no Grupo Temático.

§ 1º – Para defesa da moção, um (a) dos (as) propositores (as) disporá de 03 (três) minutos;

§ 2º – Será facultado a qualquer delegado (a) da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT defender, pelo mesmo tempo, ponto de vista contrário ao apresentado pela moção.

§ 3º – As moções que não forem aprovadas por aclamação serão submetidas à votação, após 3 (três) minutos de defesa e 3 (três) minutos de refutação.

Art. 19 – A aprovação das moções será por maioria simples dos delegados (as) presentes na Plenária Final.

CAPÍTULO XI

DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 20 – As propostas aprovadas na Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT comporão o Relatório da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, a ser publicado e divulgado pela Secretaria Municipal da Reparação e pelo Comitê LGBT de Salvador.

Art. 21 – Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT.

Salvador, 21 de Julho de 2015

REGIMENTO DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS E PROMOÇÃO DA CIDADANIA LGBT

21 e 22 DE JULHO DE 2015 – SALVADOR /BA

SUMÁRIO

CAPÍTULO I – DOS OBJETIVOS

CAPITULO II – DO TEMÁRIO

CAPÍTULO III – DA REALIZAÇÃO

CAPITULO IV – DA ORGANIZAÇÃO

Seção I – Da Comissão Organizadora Municipal

Seção II – Das Atribuições da Comissão Organizadora Municipal e das Subcomissões

Seção III – Da Elaboração e Encaminhamento dos Relatórios

CAPÍTULO V – DA PARTICIPAÇÃO

CAPÍTULO VI – DOS RECURSOS FINANCEIROS

CAPÍTULO VII – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I

DOS OBJETIVOS

Art. 1º A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT convocada através do Decreto nº 26.180, publicado no DOM de 29 de junho de 2015, tem como objetivos:

I – Reafirmar e ampliar o compromisso governamental e da sociedade soteropolitana com a Política Municipal de Promoção e Defesa dos Direitos de Lésbicas,Gays,Bissexuais,Travestis e Transexuais como fatores essenciais à democracia plena e ao desenvolvimento com justiça social no Brasil;

II – Avaliar os desafios a serem enfrentados para implementação da Política Municipal de Promoção e Defesa dos Direitos de Lésbicas,Gays,Bissexuais, Travestis e Transexuais;

III – Propor um conjunto de recomendações para o fortalecimento e enfrentamento a lesbofobia, gayfobia, bifobia, transfobia e a promoção da igualdade no âmbito do Executivo (municipal) e outros Poderes do Município de Salvador;

IV – Discutir os mecanismos de institucionalização da Promoção da Cidadania dos Direitos de Lésbicas,Gays,Bissexuais,Travestis e Transexuais.

CAPITULO II

DO TEMÁRIO

Art. 2º A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT terá como tema central: “Por uma Salvador que respeita a Diversidade” e como subtema: Políticas LGBT no Município de Salvador: desafios e estratégias.

Parágrafo único. O temário acima terá como subsídios o Marco Regulatório da Política de Promoção da Cidadania LGBT.

Art. 3º A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT deverá propiciar a participação ampla e democrática de diversos segmentos da sociedade, e seu relatório final deverá refletir tal diversidade.

Parágrafo único. As discussões do temário e os documentos da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT deverão observar, além das dimensões de gênero, as dimensões étnico-raciais, geracionais, de orientação sexual, pessoas com deficiência e em situação de rua.

CAPÍTULO III

DA REALIZAÇÃO

Art. 4º A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT e suas deliberações terão abrangência municipal.

Art. 5º A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT será precedida de 09 (nove) pré-conferências convocadas pela Comissão Organizadora Municipal, abrangendo as comunidades LGBT.

§ 1º Os delegados participantes da etapa municipal, quando não forem natos, serão eleitos nas pré-conferências.

Art. 6º As etapas da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT serão realizadas nos seguintes períodos:

I – Pré-Conferências – até 18 de julho 2015;

II – Conferência – 21 e 22 de julho de 2015.

§ 1º A não-realização das etapas previstas no inciso I em uma ou mais regiões da cidade não constituirá impedimento à realização da Conferência.

§ 2º A composição da comissão organizadora da COMLGBT deverá assegurar a representação da sociedade civil e do poder público.

§ 3º A comissão organizadora deverá assegurar as condições de acessibilidade para pessoas com deficiência.

§ 4º A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT será realizada em Salvador, sob a coordenação da Secretaria Municipal da Reparação e com o apoio do Comitê LGBT.

CAPITULO IV

DA ORGANIZAÇÃO

Art. 7º A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT será presidida pela Secretária Municipal da Reparação e, na sua ausência ou impedimento eventual, pelo Subsecretário da SEMUR.

Parágrafo único. As discussões no âmbito da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT poderão ser desenvolvidas sob a forma de palestras, painéis, oficinas, grupos de trabalho e debates em plenário.

Art. 8º Para a organização, implementação e desenvolvimento das atividades da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, fica constituída a Comissão Organizadora Municipal.

Seção I

Da Comissão Organizadora Municipal

Art. 9º A Comissão Organizadora Municipal será composta pela Secretária Municipal da Reparação e por quatorze membros, sendo sete representantes do Comitê LGBT e sete integrantes de órgãos da Prefeitura Municipal de Salvador.

§ 2º Serão constituídas as seguintes subcomissões:

I – Subcomissão de Regimento,Temário, Metodologia e Relatoria;

II – Subcomissão de Comunicação;

III – Subcomissão de Infraestrutura e Logística;

IV – Subcomissão de Articulação e de Mobilização

§ 2º A presidência da Comissão Organizadora Municipal será exercida pela Secretária Municipal da Reparação.

Seção II

Das Atribuições da Comissão Organizadora Municipal e das Subcomissões

Art. 10º À Comissão Organizadora Municipal da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT compete:

I – Organizar, acompanhar e avaliar a realização da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

II – Coordenar as subcomissões indicadas no art. 9º;

III – Indicar os integrantes das subcomissões, podendo ampliar a composição destas, sempre que houver necessidade;

IV – Definir a metodologia da elaboração dos documentos de discussão, bem como do relatório final da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

V – Definir o formato das atividades da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, bem como o critério para participação dos convidados, expositores municipais e nacionais dos temas a serem discutidos;

VI – Aprovar a organização da logística necessária à Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

VII – Apreciar o relatório final da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

VIII – Avaliar a prestação de contas da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT antes de submetê-la à apreciação final da Secretaria de Municipal da Reparação.

IX – Organizar e manter os arquivos referentes a Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

X – Obter junto aos expositores os textos de suas apresentações para fins de arquivo e divulgação;

XI – Solicitar apoio de pessoal aos órgãos da PMS integrantes do Comitê em caráter temporário ou permanente, no exercício de suas atribuições;

XII – Providenciar a impressão e divulgação do Regimento da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

XIII – Elaborar e divulgar o Regulamento da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

XIV – Articular-se, especialmente, com a Subcomissão de Comunicação, visando à elaboração de um plano geral de Comunicação Social da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

XV – Monitorar o andamento das pré-conferências que antecedem a Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, por meio de suas subcomissões, especialmente, no recebimento de seus relatórios finais; e

XVI – Elaborar a prestação de contas da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT.

Art. 11. À Subcomissão de Regimento,Temário, Metodologia e Relatoria compete:

I – Apresentar e aprovar em plenário o Regulamento da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

II – Zelar pelo cumprimento do Regimento e do Regulamento no processo de realização Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT.

III – Propor e elaborar textos de subsídio às discussões das pré- conferências e da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

IV – Organizar os termos de referência do tema central e eixos temáticos, visando subsidiar a apresentação dos expositores na Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

V – Sugerir expositores para cada mesa temática;

VI – Elaborar a relação de subtemas e os roteiros para os grupos de trabalho e elaborar o roteiro para a apresentação dos relatórios;

VII – Propor metodologia para consolidação dos relatórios dos grupos;

VIII – Coordenar a consolidação dos relatórios dos grupos de trabalho; e

IX – Elaborar, organizar e acompanhar a publicação do relatório final da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, junto à Subcomissão de Comunicação.

Art. 12. À Subcomissão de Comunicação compete:

I – Definir instrumentos e mecanismos de divulgação da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

II – Promover a divulgação do Regimento da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

III – Orientar as atividades de comunicação social da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT;

IV – Promover o registro e a cobertura pelos meios de comunicação nas pré-conferências e na Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, visando a divulgação e a memória da Conferência; e

V – Encaminhar e acompanhar a publicação do relatório final da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT organizado pela Subcomissão de Temário, Metodologia e Relatoria.

Art. 13. À Subcomissão de Infraestrutura e Logística compete:

I – Propor, acompanhar e assegurar a infraestrutura necessária à realização da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, envolvendo a organização, uso e administração do espaço da COMLGBT, a instalação de equipamentos de audiovisual, reprografia, de comunicação, hospedagem, transporte e alimentação dos participantes, acessibilidade, primeiros socorros e outras;

II – Avaliar, juntamente com a Comissão Organizadora Municipal, CoordenaçãoExecutiva e o Comitê, a prestação de contas de todos os recursos destinados à realização da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT.

Art. 14. À Subcomissão de Articulação e Mobilização compete:

I – Estimular a organização e acompanhar a realização das pré-conferências, como etapas necessárias para garantir a participação na etapa municipal; e

II – Monitorar a elaboração e o encaminhamento do relatório da Conferência Municipal à Comissão Organizadora Estadual da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, nos prazos estipulados no calendário.

Seção III

Da Elaboração e Encaminhamento dos Relatórios

Art. 15. O relatório da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT deverá ser elaborado a partir do temário, levando em consideração as contribuições das pré-conferências regionais.

§ 1° Deverão constar do relatório final da conferência municipal e das pré-conferências, somente as propostas com aprovação de, no mínimo, cinqüenta por cento mais um dos participantes da plenária final.

CAPÍTULO V

DA PARTICIPAÇÃO

Art. 16. A Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT terá a participação de 123 (cento e vinte e três) delegados (as) e mais 35 observadores e convidados, com a seguinte composição:

I – 54 (cinquenta e quatro) delegados (as) eleitos (as) nas plenárias das pré-conferências escolhidos (as) dentre os participantes;

II – 32 (trinta e dois) delegados (as) natos membros do Comitê LGBT.

III – 37 delgados indicados pelos órgãos municipais.

IV – 35 Observadores e convidados.

Art. 17. As delegações escolhidas nas pré-conferências deverão propiciar a participação dos diversos segmentos da sociedade civil.

§ 1º Cada Pré-conferência, juntamente com a escolha dos (as) delegados (as), deverá eleger as vagas para o preenchimento da suplência dos respectivos delegados.

§ 2º Da lista de delegados (as) e de suplentes escolhidos nas pré-conferências, deverá constar a respectiva identificação dos participantes (RG, CPF, Comprovante de residência).

§ 3º Para a efetivação da suplência deverá ser apresentada carta de substituição assinada pelo (a) responsável, pela comissão organizadora municipal ou pelo (a) delegado (a) impossibilitado (a) de comparecer à Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, até o encerramento do credenciamento de delegados (as).

§ 4º As listas de delegados (as) deverão especificar os(as) participantes com deficiência, a fim de que sejam providenciadas condições adequadas para sua participação na Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT.

Art. 18. Serão convidadas para a Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT, pela Comissão Organizadora Municipal, autoridades, personalidades e representantes de entidades municipais, estaduais e nacionais.

CAPÍTULO VI

DOS RECURSOS FINANCEIROS

Art. 19. As despesas com a organização geral, hospedagem e alimentação de delegados (as) e convidados da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT correrão por conta da Secretaria Municipal da Reparação- SEMUR com apoio financeiro de todas as Secretarias da Administração Pública Municipal.

CAPÍTULO VII

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 20. Os casos omissos neste Regimento serão resolvidos pela Comissão Organizadora Municipal da Conferência Municipal de Políticas e Promoção da Cidadania LGBT.

Foto: Max Haack

Foto: Max Haack

Salvador, segunda-feira, 6 de julho de 2015 – Da Assessoria do GGB.

Promovidas pela (SEMUR) Secretária Municipal da Reparação nesse sábado a cidade recebe nas (09) nove Prefeituras Bairro nesse sábado, 11, das 14ho ás 18h0 as pré-conferências LGBTs. Gays, lésbicas, travestis, homens e mulheres transexuais, simpatizantes, Ongs, movimentos culturais locais, estão todos convidados para esse momento importante para a construção de Salvador sem Homo, lésbo, bi, trans fobia. Procure a sua Prefeitura Bairro e participe. Vai ser um momento para você contribuir com suas opiniões para fazer a Politica Municipal LGBT.

A União faz o açúcar e juntos fazemos a diferença. O Grupo Gay da Bahia sente-se manifesta o seu contentamento em ter um de seus projetos aprovados e transformado em POLÍTICA PÚBLICA DE GOVERNO, isso não tem preço. Conheça a história. Tudo isso nasceu a partir do GGB ter apresentado a então vereadora Fabíola Mansur (PSB), hoje deputada Estadual a proposta de um Projeto de Lei para a criação de um Centro de Referencia LGBT em Salvador. A vereadora lutou e defendeu o Projeto no Colégio de Líderes onde foi aprovado. A defesa da vereadora fez com que o prefeito ACM Neto ficasse sensibilizado e aprovasse o projeto. O prefeito ACM Neto institui por meio de Decreto Municipal a criação de um Núcleo junto a Secretaria da Reparação (Semur) para construir o Centro de Referência. Agora é o segundo passo para esse projeto se tornar realidade quando o GGB completa 35 anos de fundação. É só agradecer! Participe. Chame gente. Serviço I Pré-conferência LGBT Salvador – CENTRO Dia 11 de julho, sábado, das 14h0 ás 18h0 Local: Prefeitura Bairro, Praça da Sé – Prédio da (ABI) ao lado do Edifício Themis. Mais informações: 71 – 3202 2700 com Zú Paim – E-mail: zupaim@yahoo.com.br Foto: Dia da assinatura do Decreto. Professora Ivete Sacramento, secretária (Semur), Zu Mota Paim, vice-preita Célia Sacramento, Fabíola Mansur, ACM Neto Prefeito, Marcelo Cerqueira  e Millena Passos.

— com Millena Passos.

Semana da Diversidade e Parada Gay da Bahia já tem cotas de patrocínio para empresas

daniela parada 2013(2)

Salvador, Bahia, segunda-feira, 22  de junho de 2015 – Da assessoria.  As cotas comerciais para a IV Semana da Diversidade e 14ª Parada Gay da Bahia já estão disponíveis para empresas interessadas em participar do evento que conta com uma programação diversificada incluindo seminários, feira, mostra de artes plásticas, shows musicais, desfile de trios, palco para apresentação de bandas musicais.

Organizada pelo Grupo Gay da Bahia desde a sua primeira edição em 2003 a IV Semana da Diversidade acontece em Salvador de 6 a 13 de setembro finalizando com a esperada  14ª Parada Gay considerada principal atividade  com expectativa de reunir cerca de 900 mil pessoas no cortejo de dez trios elétricos. De acordo com os organizadores depois de São Paulo o evento baiano é o segundo maior do Brasil, especialmente pela quantidade de ações artísticas,  culturais e participação de bandas musicais.

O conjunto das atividades oferece um ambiente especial para empresas divulgarem marcas, produtos e serviços.  Os organizadores acreditam quem o evento há muito tempo deixou de ser apenas da causa , mas também uma oportunidade de realizar negócios por mobilizar toda uma cadeia produtiva de serviços e consumo.

A grade de ações está aberta para comercialização. Marcelo Cerqueira,  presidente do GGB e produtor do evento acredita que o diferencial do evento em relação aos outros é a quantidade de atividades e a grande participação de pessoas o que garante aos parceiros o retorno do seu investimento. “ Existem diversas maneiras das empresas participarem  para promover negócios de acordo com as opções de cotas de patrocínio  preto, verde e cinza”  informou Cerqueira.

Além das três modalidades existe outra maneira das empresas estarem em evidência no evento aderindo à cota purpurina pura. A modalidade consta inserir a logo marca do patrocinador em blocos de anotações, pastas de eventos,  folhetos, crachás, lonas ortofônicas de trios, camisetas e bonés. “As empresas podem também fazer reserva de um trio elétrico para convidar seus clientes” declarou Cerqueira.  Mais informações sobre a iniciativa pelo telefone (71) 9989 4748  e-mail: ggbbahia@gmail.com

ASSASSINATOS NO BRASIL REGISTROS DIÁRIOS

QUEM A HOMOFOBIA MATOU HOJE

TV GGB

Roteiro LGBT completo de Salvador

Guia Gay Salvador

Guia do Ócio Salvador

Capa guia do ocio final  

PLANETA ROMEU

 
doitercos
anuncio-bears

Noticias recentes

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.136 outros seguidores