Início » NOTÍCIAS » Desavença por dinheiro causou morte de bailarinodinheiro causou morte de bailarino

Desavença por dinheiro causou morte de bailarinodinheiro causou morte de bailarino

WallysonBale

Salvador, Bahia, 18 de março de 2015 – DA ASCOM/PC

Autuado por homicídio e roubo, pelo delegado Guilherme Machado, titular da 3ª Delegacia de Homicídios (DH/BTS), o garoto de programa Wallyson Santana de Castro, o “Galego” ou “Roy”, de 24 anos, autor confesso da morte do bailarino Reinaldo Pepe dos Santos, 40, foi apresentado à imprensa, na manhã desta quarta-feira (18), no auditório do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

De acordo com o delegado, “Galego” assassinou Pepe com golpes de faca no pescoço e no abdômen, na madrugada de domingo (15), na Rua do Alvo, no bairro da Saúde, onde o bailarino residia, e roubou um notebook e o celular da vítima, que tinha conhecido há uma semana. O crime foi motivado por um desentendimento entre as partes na hora por pagamento do programa.

“Galego” foi preso, na tarde de terça-feira (17), na cidade de Muritiba, no Recôncavo Baiano, por militares da Companhia Independente de Policiamento Especializado (CIPE/Polo), e conduzido ao DHPP, onde teve o mandado de prisão temporária, expedido pelo Plantão Judiciário, cumprido pelo delegado Machado.

Na delegacia, “Galego” informou que ainda não tinha feito nenhum programa com o bailarino, mas já tinham se encontrado em um bar para beber com outros amigos da vítima. Segundo o delegado, imagens de “Galego”, saindo do local do crime, foram analisadas pela polícia e ajudaram na sua identificação. Testemunhas ouvidas no departamento sobre o caso, também reconheceram o autor por meio da fotografia fornecida pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Atenderam a imprensa o delegado Guilherme Machado, titular da 3ª DH/BTS, e o coronel Lázaro, comandante da Cipe/Polo. A faca utilizada no homicídio ainda não foi localizada pela polícia. Wallyson será encaminhado à Cadeia Pública, no Complexo Penitenciário da Mata Escura.

Homofobia empurra LGBT para a clandestinidade 

Do Grupo Gay da Bahia.

O Grupo Gay da Bahia (GGB) esteve presente desde as primeiras horas quando diversas mensagens enviadas por internautas informavam o acontecimento criminoso. A entidade acredita que o crime sem dúvida tem requinte homofobico, pois, todo crime tendo LGBT como vitimas são motivados pela vulnerabilidade social dessa população. A cultura considera LGBT como pessoas de segunda categoria e empurra essas pessoas para viver a sua sexualidade de forma clandestina expostas a violência, perigos, insalubridades e doenças.

As pessoas devem entender que combater a homofobia não é fazer propaganda da homossexualidade, mas, criar climas favoráveis  para o fortalecimento da democracia e cidadania. Não é possível que os LGBT paguem com a sua própria vida o preço do seu desejo. Abaixo orientações para profissionais do sexo e para os demais, dicas de segurança. É preciso criar um código de ética para ambas partes. (Marcelo Cerqueira – DRT 2135-ba)

A lista das orientações:

Dicas para antes de sair com o cliente:

1) Decida o que você aceita fazer e o que não aceita.

2) Decida o lugar para onde vocês irão, não deixe a escolha para o cliente.

3) Recuse clientes estranhos, muito alcoolizados e os que fazem pedidos malucos.

4) Sempre tenha à mão camisinhas, lubrificante e lenços descartáveis.

5) Permaneça em alerta e preste atenção no comportamento do cliente.

6) Faça um acordo sobre o preço do programa e o lugar antes de sair com o cliente, do contrário, poderá haver problemas sérios.

7) Exija a utilização da camisinha do início ao final da transa.

8) Se você batalha sozinha, faça de conta que um(a) colega está na proximidade (finja que está falando com ele(a).

9) Tome a direção das operações.

10) No carro, feche a porta e verifique imediatamente que ela pode se abrir de novo (faça como se ela estivesse mal fechada);

11) Observe com atenção o cliente: não é tarde demais para voltar atrás e desistir do programa se você pressente que vai ter problema.

12) Coloque o dinheiro dele onde ele possa vê­lo, mas nunca com o resto das suas notas de dinheiro.

Negociando com o cliente:

13) Se o cliente lhe der uma má impressão ainda na calçada (seu território), será ainda pior quando estiver dentro do carro (território dele).

14) Ao se aproximar do carro, conserve uma distância de segurança para evitar as agressões, facadas, cuspidas, bombas de gás, jatos de extintores de incêndio no rosto etc..

15) Assegure­se de que o cliente esteja sozinho no carro.

Dicas para quando você já estiver com o cliente:

16) Tente negociar as relações sexuais sem penetração. Procure utilizar as mãos, a boca, os seios, as nádegas… A simulação pode ser possível: entre as coxas com a ajuda da mão, por exemplo. Dessa forma, tem clientes que nem sabem se está acontecendo a penetração ou não.

17) Utilize preservativo lubrificado: certifique-se de que tenha o selo do INMETRO e a data de validade na embalagem. O preservativo salva vidas.

18) Para convencê-lo, fale da segurança dele, de sua segurança, do tesão dele (com um preservativo, dura mais tempo, os preservativos o/a excitam). Se o cliente recusar preservativo e você aceitar trabalhar sem, a simulação é então indispensável para evitar o contato do esperma com suas mucosas vaginais.

19) Penetração muito profunda pode causar traumatismos. Coloque a sua mão na base do pênis permitindo limitá-lo na profundidade e garantir a posição correta do preservativo.

20) Após a ejaculação, segure firme o preservativo enquanto o cliente tira o pênis, para que o esperma não escorra para dentro de você.

ORIENTAÇÕES                                                    

Para contratantes de prestadores de serviços sexuais. Procure não dormir com o inimigo: Gay vivo não dorme com o inimigo.

  • Evite levar desconhecidos ou garotos de programa para casa. Prefira fazer programas em hotéis, motéis e saunas;
  • Investigue a vida da pessoa com quem pretende sair. Prefira pessoas indicadas por amigos;
  • Só faça programas com elas depois de ter certeza que são de confiança;
  • Nunca beba líquidos oferecidos pelo parceiro eventual. A bebida pode conter soníferos;famoso “Boa Noite Cinderela”. Em um bar, boate… se você, precisar ir ao banheiro, etc.. leve o copo consigo, ou, invente uma desculpa e jogue o liquido fora;
  • Se levar alguém para casa, não o esconda do porteiro, ou de vizinhos. Eles podem ajudá-lo na hora do perigo. É sempre bom ter uma boa relação com esse pessoal. Na hora do babado, eles sempre são solidários;
  • Se for possível, não esconda que é gay. Isso evita chantagem e extorsão;
  • Não se sinta inferior. Não se mostre indefeso, evite demonstrar passividade, medo, submissão. Não cultive o tipo machão, ou pelo menos não mostre que o valoriza tanto;
  • Evite fazer programa com mais de um michê. Antes da transa, acerte todos os detalhes : preço, duração, preferências eróticas ( se ele aceita, por exemplo, ser passivo);
  • Ostentação.Não humilhe o parceiro. Não exiba jóias, riqueza ou símbolos de superioridade que despertem cobiça. O garoto de programa quase sempre é de classe inferior à sua;
  • Se o encontro for na sua casa, tranque a porta e esconda a chave. Não deixe armas, facas e objetos perigosos à vista, você é dono da casa e deve dominar a situação;
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: