Início » NOTÍCIAS » GGB repudia Plano de Educação aprovado sem inclusão de  gênero e sexualidade. Um retrocesso!

GGB repudia Plano de Educação aprovado sem inclusão de  gênero e sexualidade. Um retrocesso!

Marcelo Cerqueira plano de educao bahia 2016

 

Salvador, Bahia, quarta-feira, 4 de maio de 2016 – Do GGB – Não adiantou tanto esforço e luta dos movimentos sociais para aprovação do Plano Estadual de Educação na integra. O plano original constava itens sobre questões de gênero e sexualidade, como por exemplo, a importante temática que aborda a Orientação Sexual. Os deputados aprovaram nessa fatídica tarde de hoje o texto com a exclusão das palavras “gênero e sexualidade, orientação sexual”, causando um grande retrocesso, uma verdadeira pá de cal na tão sonhada educação inclusiva. Nesse dia de hoje o conservadorismo do parlamento baiano pois fim em uma caminhada que tinha como finalidade  poder levar esse debate para as escolas, o Grupo Gay da Bahia (GGB) repudia este ato dos deputados, justificado apenas pela ignorância e obscurantismo.

O Plano Estadual de Educação é uma ferramenta importante para o fortalecimento do trabalho do educador, dando-lhe amparo  técnico para tratar desses assuntos com os educandos em sala de aula. Sem essas temáticas importantes e atuais, o profissional da educação, nesse caso o professor, ficará sem o apoio necessário para fazer as abordagens de forma livre e democrática, pois  ficará  vulnerável diante da Coordenação da Escola, bem como da família, principalmente aquelas mais ortodoxos e fundamentalistas, que poderão interpelar os professores, inclusive judicialmente, caso sintam-se prejudicados de alguma forma.

Inicialmente o referido projeto não parecia ser alvo de polêmica, mas  infelizmente, de hora para outra se se tornou o centro das atenções. Por iniciativa do deputado Sargento Isidoro (PDT),  iniciou-se uma campanha difamatória e sem conteúdo cientifico, onde o mesmo alegou que o plano agride as famílias. Para combater aprovação do projeto, o referido pastor recrutou uma grande quantidade de membros da Fundação Dr. Jesus, que empunharam cartazes de cunho racistas, discriminatório e preconceituosos fizeram grande tumulto na entrada da galeria do plenário da Assembleia Legislativa e, aos gritos, arrazoavam palavras de ordem contra os LGBT.

Militantes e lideranças dos movimentos sociais disputavam no grito palavras de ordem com a tropa do “soldados do pastor Isidório”. O tumulto na porta da galeria foi tão grande que precisou de uma comissão para intermediar o acesso dos educadores e militantes, que apesar de grande, era inferior ao número de pessoas que o deputado Izidório arregimentou de sua instituição, a maioria homens, segundo eles em tratamento dependência química. A comissão foi formada pelas deputadas Fabíola Mansur (PSB), Luiza Maia (PT), Deputado Sargento Izidório,  Defensora Eva dos Santos e ouvidora  Vilma Reis Ambas representando a Defensoria Pública da Bahia.

A votação de hoje foi aberta e a deputada Fabíola Mansur (PSB) declarou o seu voto por escrito, em favor do plano, mas solicitando aprovação na integra, com as expressões “gênero, Sexualidade e Orientação Sexual”, conforme o foi enviado pelo Governo da Bahia, a ser submetido ao Legislativo. O processo de construção do Plano foi muito bem organizado, ouviu a sociedade civil, professores, intelectuais, entidades das mais diversas.  Ressaltou Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia e um dos lideres desse movimento que “o texto inclui pessoas que ao longo da história da educação tiveram esse direito negado”.

O Plano segue agora para o governador Rui Costa que deverá aprovar o documento no formato que foi enviado ao Legislativo, com as emendas apresentadas pelos deputados, ou vetá-las, o que seria para o movimento social a manutenção das conquistas realizadas ao logo dos anos na abordagem dos temas nas escolas baianas. “É preciso sensibilizar o governo da Bahia, para aprovação do Plano no formato que foi originalmente submetido para apreciação dos deputados, pelo Executivo Estadual”, conclui Cerqueira.

Confira os nomes dos deputados a favor do texto original do Plano, votaram contra a retirada de “Gênero e sexualidade”. 

Fabíola Mansur,

Marcell Moraes,

Marcelino Galo,

Fabricio Falcão,

Gika,

Fátima Nunes,

Bobô,

Luíza Maia,

Maria Del Carmen,

Neuza Cadore

Zó.

Anúncios

1 Comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: