Início » NOTÍCIAS » Campanha “Nós, Por Exemplo” do GGB joga luzes sob orientações homoafetivas tradicionais e orienta LGBTs e vítimas de crimes de ódio denunciar no Disk 100.

Campanha “Nós, Por Exemplo” do GGB joga luzes sob orientações homoafetivas tradicionais e orienta LGBTs e vítimas de crimes de ódio denunciar no Disk 100.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Salvador, Bahia, 18 de janeiro de 2017 – Do GGB -O Grupo Gay da Bahia (GGB), deu início ontem, segunda-feira, 17, a divulgação da Campanha “Nós, Por Exemplo” desenvolvida pela entidade com a finalidade de ampliar os conhecimentos das pessoas em relação a gênero, identidades e orientação sexual que permeiam o universo do que chamamos hoje de homoafetividade.

A união estável entre pessoas do mesmo sexo  tradicional ou clássica, mesmo não detendo ampla capilaridade junto a sociedade em geral, passados trinta e sete anos da fundação do GGB pelo professor Luiz Mott, mesmo que pese os índices de violências contra homoafetivos gays, lésbicas, bissexuais e pessoas transexuais interagindo com os seus aspectos culturais próprios e dos demais cidadãos urbanos tem contribuído para o fortalecimento desse grupo social especifico, sendo capazes de repassar esta consagração do amor as novas gerações.

A campanha Nós, Por Exemplo, parte do princípio que o componente biológico nos seres humanos não é determinante, nem define a performance de gênero. O  que mais importa é a relação que o indivíduo estabelece  com os diversos papéis de  gênero.

O GGB convidou  pessoas ativistas dos direitos humanos  para protagonizar as peças da campanha: uma bissexual feminina, um trans homem com identidade masculina, uma trans mulher com identidade feminina, uma lésbica com identidade feminina e dois homens gays com identidades masculinas. A filmadora percorre detalhes das faces dessas pessoas em tempo que elas declaram sua identidade: “Sou lésbica” declara Mel Gomes, 23 anos, ativista da União da Juventude Socialista (UJS).

Nós, Por Exemplo, no Dia da Visibilidade Trans (29 de janeiro), exibe a face de um homem e uma mulher trans, Hugo Cerqueira e Millena Passos, ativistas reconhecidos na Bahia e no Brasil. Consta também o ativista Onã Rudá Cavalcanti da União da Juventude Socialista (UJS), Aline Cunha e o fundador do GG,B Luiz Mott que atua como ancora do vídeo que possui a duração de 1,50min, resultado de mais de 10 horas entre filmagem e edição.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: